Reinventando moda

Sabe aquela camisa social que por alguns é usada em looks despretensiosos, mas na maioria das vezes, é usada pela galera que trabalha em escritório de um jeito bem “normalzão”, então, que tal usar essa mesma camisa como saia? Calma que eu te explico!

Moda pra mim significa reinventar, seja um estilo, uma peça, um jeito de usar. Tão raro aparecer alguma coisa nunca vista antes, e isso acontece porque normalmente a moda de hoje não é novidade, cadê as mães, tias, avós?

A moda de hoje é algo que surgiu a muito tempo atrás, porém agora sendo usada de outro jeito, com outra proposta. E é aí que entra essa ideia de usar a camisa social, coringa em qualquer guarda roupa , como uma saia, por que não ?

Isso vale para uma calça jeans velhinha que vira um short, um vestido que vira um conjunto de saia e cropped, um lenço maravilhoso que vira um top e por aí vai.

DIY

A prática da criatividade na hora de montar look melhora a cada dia, muita coisa você vai ver que só funciona na sua cabeça mesmo, mas é errando, errando e errando mais uma vez que uma hora a gente acerta e novas possibilidades vão aparecendo, seja original, respeite o seu estilo e tente criar mais com o que você já tem em casa, sem precisar consumir tanto!

A Rebeca do site Elas Brasil fez um post esses dias, com look e tudo de uma camisa social sendo usada como saia, vale passar lá para se inspirar!

Beijos Gi

A vida pós carnaval

Existe vida pós carnaval.

Não lembro da experiência mais cansativa e ao mesmo tempo encantadora e cheia de brilho (além do glitter), alegria, vontade de viver e ser feliz que eu tenha tido nos últimos meses, quem sabe anos.

Não lembrava do que era carnaval. A convivência com pessoas que não gostam me fizeram achar que talvez tivesse desgostado dessa pequena época do ano em que as pessoas perdem a vergonha, mas não esquecem de deixar a felicidade ser o personagem principal da vida.

Carnaval pra mim é isso; ser feliz. Não importa como, porque, onde ou com quem. Ser feliz é o que importa.

carnaval 2

Esse carnaval marcou a minha vida, não viajei, não fui pra nenhuma festa cara, não usei salto nem roupa nova, e a vida me surpreendeu da melhor forma. Foi o carnaval mais feliz, mais alegre, mais pé no chão, com mais sorrisos e fantasias que eu poderia ter!

Carnaval, seu lindo. Até 2017.

carnaval

Ah, sim, me fantasiei de tiro ao alvo e amei!

Beijos Gi

As vezes dá uma vontade de voltar!

Heeeeey.

Alguém por aí?

Acho que nunca fiquei tanto tempo longe do blog. Outro dia me peguei pensando em porque tinha dado essa pausa e não sei bem a resposta, mas eu sabia que precisava respirar fora daqui. estava cansada da internet e a vida lá fora, me chamava aos gritos. O fato é que nunca foi uma opção excluir o blog, e por isso resolvi fazer esse post, e voltar aqui sempre e quantas vezes der vontade. Não sei se os posts serão com tanta frequência, mas toda vez que postar algum, vai ser porque a vontade de mostrar ou apenas dizer algo foi difícil de ignorar.

tempo

Beijos Gi

Desligando o wifi

large (1)
Fonte: Pinterest

Outro dia tentei calcular quanto tempo do dia que eu ficava online,  vendo fotos no instagram, conversando com amigos, ou até pesquisando coisas pro blog ou do direito, e nossa foi difícil saber quando que eu não estava online.

Já pensou nas coisas que você fazia quando não usava a internet ? Nem faz tanto tempo assim, mas como a gente não consegue nem imaginar a vida sem ela, parece ser algo muito distante.

Acho que hoje a vida de ~quase~ todo mundo gira em torno da internet, e essa necessidade absurda, faz das pessoas cada vez mais escravas disso. É aquele mal necessário que sabemos que em excesso atrapalha.

De uns tempos pra cá tenho pensado bastante nesse hábito ruim, de como as pessoas pararam de olhar em volta para olhar para a tela do celular. Quanta coisa nós perdemos quando paramos de viver de verdade para ficarmos conectados em excesso, como ir a uma festa e não tirar foto porque a festa tá tão boa que ninguém nem lembrou de parar de se divertir pra registrar o momento, ou aquela foto com a amiga no barzinho que ficou para depois porque a conversa estava boa demais pra ser interrompida por uma selfie, ou ainda aquele dia de sol que acabou não sendo postado porque o dia estava perfeito pra um passeio de bicicleta até anoitecer. São coisas como essas que paramos de viver, porque priorizamos a vida conectada e não lembramos que a vida lá fora é MUITO mais interessante.

No próximo encontro com os amigos, desligue o wifi, aproveite o momento, jogue conversa fora, ria até a barriga doer, valorize quem está do seu lado na vida real, e amanhã quando você acordar, a internet vai estar no mesmo lugar te esperando.

Beijos Gi

Essas coisas da vida

Não sei direito como começar esse post, e até o título é um pouco vago, porque eu acho que a palavra “vaga” representa um pouco esse momento que estou vivendo.

Sabe quando você faz planos sobre o futuro e vive seu presente torcendo pra tudo dar certo, e esperando que tudo aquilo que você planejou aconteça pra que a vida faça sentido e as coisas possam fluir normalmente, entenda-se, que você seja feliz ? Pois é.

As coisas por aqui não aconteceram conforme o meu calendário, digamos que alguns planos eu fui obrigada a adiar, e no meio disso tudo outras coisas aconteceram e com elas algumas pedras foram colocadas no caminho pra dar uma variada na paisagem. Resumindo, a vida tá um caos. Meu otimismo sempre me fez continuar acreditando nas possibilidades, mesmo enxergando os problemas como eles verdadeiramente são, e dessa vez não vai ser diferente. Jogar tudo pro alto é carta fora desse baralho, se apegar aos problemas e deixar que a tristeza domine meus dias não vai ajudar em nada, é aquilo, conte as coisas boas no meio das ruins e veja como isso faz diferença.

O que eu percebi nisso tudo, é que muitas vezes a gente espera tanto pelo que ainda pode acontecer, foca tanto em um futuro e acaba não enxergando as pequenas coisas boas que acontecem na nossa vida diariamente, e sem clichê nenhum, todos os dias acontecem coisas boas.

large (1)

Não sei quando as coisas vão melhorar na minha vida, mas acredito que tudo tem o porque de ser e acontecer, e que momentos ruins todo mundo tem, certas coisas não devemos questionar, basta acreditar que é apenas um fase, dessas batalhas que acontecem na vida de cada um, e que superar todas elas só depende da gente. As vezes o caminho é lento, mas o importante é não parar!

Sem título

A sua irritação não solucionará problema algum…
As suas contrariedades não alteram a natureza das coisas…
Os seus desapontamentos não fazem o trabalho que só o tempo conseguirá realizar.
O seu mau humor não modifica a vida…
A sua dor não impedirá que o sol brilhe amanhã sobre os bons e os maus…
A sua tristeza não iluminará os caminhos…
O seu desânimo não edificará ninguém…
As suas lágrimas não substituem o suor que você deve verter em benefício da sua própria felicidade…
As suas reclamações, ainda mesmo afetivas, jamais acrescentarão nos outros um só grama de simpatia por você…
Não estrague o seu dia.
Aprenda a sabedoria divina,
A desculpar infinitamente, construindo e reconstruindo sempre…
Para o infinito bem! (Chico Xavier)

Keep walking.

Beijos Gi

Pode vir 2015…

Há um ano atrás escrevia minha lista de desejos para 2014, e quem diria que uma delas acabaria por me ocupar tanto, que faltaria tempo para todo o resto, como o blog. Escrevi um texto no instagram que significa o que eu vivi em 2014 e espero de 2015.

“2014 foi um ano bom, não digo o mais sublime, mas aprendi tanto, na dor e no amor, que não dá pra colocar esse ano na gaveta de “anos pra esquecer”. Foi em 2014 que conheci pessoas especiais, vivi momentos especiais, reencontrei mais que em outros anos, algumas amigas mais-que-especiais. Foi em 2014 que eu bebi, com as 4 letras maiúsculas, não que isso seja bom, mas não tive nenhuma ressaca, o que quer dizer que estou ficando forte haha. Em 2014 eu esqueci um pouco dos outros e foquei em mim, fui mais corajosa nesse ano também. Não tive problemas de saúde em 2014, o que já conta como saldo final positivo. Me formei em 2014 e abandonei tudo pra focar nos estudos. Logo eu, tão inquieta… não está sendo fácil, mas que em 2015 eu colha os frutos de tudo que abdiquei (cerveja não conta). Obrigada aos que fizeram do meu ano mais especial. Um feliz ano novo para todos. Vem 2015, mas vem sorrindo.”
large (3)

Antes mesmo do ano acabar, já aguardo com vontade 2015. Sabe quando começamos a realizar coisas que sabemos que somente terão resultados a longo prazo? Estou nessa situação e por isso 2015 já é muito esperado por mim, então que ele venha e junto com ele venham também mais sonhos, mais obstáculos, mais conquistas, mais desafios, mais aprendizado, mais vida pra viver da melhor forma possível, um 2015 maravilhoso para todos.

Beijos Gi

Tudo tem limite ou a busca pela beleza é exceção ?

Eis que na última semana a internet foi invadida com fotos e memes de Kim Kardashian e seu ensaio nu (sério que foi de graça?), mas algo me chamou muito mais atenção do que o ensaio de Kim, a notícia sobre a técnica que sua irmã, Kylie Jenner, supostamente usa para aumentar os seus lábios.

Fotor112704134
Kylie – Antes / Depois

Sempre desconfiei que a técnica era de fato só truque de maquiagem, porque o aumento dos lábios era gritante, algo parecido com um inchaço talvez, e que não poderia ser apenas um truquinho com lápis e batom.

Até onde as pessoas chegam para alcançar um ideal de beleza? Qual é o limite que uma pessoa se sujeita chegar, e muitas vezes ultrapassar para se sentir mais bonita?

A técnica usada é nada menos que um “sugador de lábios”. A forma correta de usar é encaixando a boca no aparelho, apertando e soltando, sozinho ele gruda e faz a sucção dos lábios, o que acaba por inchá-los, quanto mais tempo de uso, mais inchado no estilo Kylie, o lábio vai ficar.

kilye-jenner-candylipz

Não sou contra cirurgias plásticas, para muitas pessoas elas são necessárias por questão de saúde, para outras pode melhorar a auto estima, o que eu acredito ser válido pensando dessa forma.

Se olhar no espelho e encontrar um monte de defeitos é fácil, afinal eu, você e a maioria das pessoas está insatisfeita com alguma parte do corpo. Mas o que fazemos pra melhorar isso? Uma vida mais saudável, talvez? Evitar comer com frequência aquele alimento que sabemos não ajudar muito para quem está querendo perder uns quilinhos? Tentar frequentar mais vezes na semana a academia? Procurar uma nutricionista? São tantas as opções que as pessoas podem adotar antes de procurar algo mais invasivo. É aí que chegamos ao procedimento adotado pela Kylie.

Não sou médica, por isso não sei se ela conseguiria o mesmo resultado com algum outro tipo de procedimento, mas quando li a matéria, e vi que até chegar aos lábios carnudos, é preciso passar por um passo a passo tão chocante, pra não dizer bizarro, penso se realmente vale a pena se ver machucada, para no final se sentir bonita? Isso faz algum sentido pra alguém ? Vale a pena fazer tudo para se enquadrar no que a ditadura da beleza entende por bonito ?

large (2)

Não sei o que passa na cabeça de Kylie, se ela realmente usar esse sugador, mas fico pensando no que as pessoas que estão sujeitas a coisas assim pensam! A repórter da foto, escreve para o PopSugar, e contou que no 5º dia, os lábios já estavam bem inchados e com feridas por dentro! OI?

Fotor112703915
Repórter que testou o aparelho de sucção.
Fotor112704016
Antes / Depois

Ser bonito é ser igual a todo mundo e usar o que todo mundo usa/faz ? Belo não deveria ser aquilo que agrada aos olhos?

O que eu sei é que me questiono se a beleza de hoje é mais dominadora/persuasiva do que na época da minha mãe/vó, ou se isso só fica mais evidente agora, por causa das redes sociais e das informações e vitrines que chegam com um clique. Ninguém é perfeita – graças a Deus! – então que tal lidar com essas imperfeições de frente? Vamos focar no que somos, e não no que temos ou podemos, pagar para utopicamente ser. Uma mulher segura, com bom humor e auto confiança, gera interesse, é natural que as pessoas se aproximem, vamos ser maduras para entender que dá pra ser feliz sem cópia, sem sofrimento, sem imposição externa, sem mudarmos nossa essência, sem precisar de nada nem ninguém dizendo como ser. Combinado assim?

Beijos Gi

Espelho, espelho meu… Para quem você se arruma?

Já parou pra pensar no tempo que você usa todos os dias para se arrumar ? 15 minutos, 30 minutos, 2 horas, para arrumar o cabelo, escolher a roupa que combina com o sapato mais bonito ou mais confortável, ou mais bonito e confortável, escolher os acessórios e ainda fazer uma boa maquiagem, tudo isso pra quem ?

Desde sempre eu fui vaidosa, cresci com mulheres bem vaidosas na minha família, o que, claro, influenciou muito em gostar de me cuidar. Muito mais do que me arrumar só pra me sentir bonita, que sem dúvidas é o que todas nós queremos, eu acho divertido me cuidar, é prazeroso, é um momento meu (seu, nosso), e que enquanto for saudável e me fizer bem, está ok pra mim.

large 1

Definitivamente não dá pra ser bonita e arrumada 24 horas por dia, e isso é ótimo! O que seriam das férias na praia, sem um ventinho que bagunça o cabelo ou sem se sujar de areia em um passeio no calçadão ?

Por isso, pensem fora da caixa, não se iludam com as propagandas que ditam regras para uma beleza que ELAS impõem como a única possível para se ter felicidade, de longe a felicidade está muito mais ligada a família, saúde, amigos, do que ter o creme milagroso do momento ou o vestido que te deixa sem respirar, mas belíssima. Se cuide por você, se divirta nesse processo, não seja obrigada a estar bonita o tempo todo, porque acredite, você não precisa ser e não deve isso a ninguém. Não deixe que o padrão de beleza te limite, no seu dia dia, nos seus gostos, no seu estilo. Não deixe de usar coisas que são tidas como “não combina com você” ou “fora de moda”, se elas, especialmente, fazem você feliz, muito mais do que querer apenas ser bonita faz.

large (2)

“Vale mais ver filme, conversar profundo, viajar, entender o universo, ler, ir à praia, se exercitar em relacionamentos e então, deixar isso tudo fazer efeito no exterior, no visual. Pra gente ser alguém que vive direitinho, se divertindo, SENDO ALGUÉM. Senão a gente além de só ‘ter’, passa a só ‘parecer’ também  – e o ‘ser’ fica pra trás, e a vida passa pela gente sem a gente ter consciência dela passando.” Trecho de texto postado no blog Oficina de Estilo

“Prettiness is not a rent you pay for occupying a space marked female.” Trecho de texto postado no blog Dress a Day

Beijos Gi

Sonhos e planos

Estou passando por um período de grande mudança na minha vida, que qualquer pessoa adulta, um dia vai passar – me formei e estou naquele momento de transição, entre o que eu era ontem (apenas uma estudante), e o que eu queria ser no futuro, porque nesse caso, o futuro chegou!

large

Como é difícil decidir o que você quer seguir/ser/trabalhar. Sou geminiana e por mim tinha mil profissões, para cada Giselly que mora dentro de mim, um ofício diferente.

O tempo parece que ficou curto, os dias parecem que passam mais depressa e tenho a impressão que acordo, já achando que não vou chegar ao final do dia com todas as tarefas daquele dia realizadas.

Queria ser dona de casa (acho lindo), mas sou independente demais para depender de alguém no futuro, queria viver do blog, mas não seria financeiramente viável, queria ser uma advogada feliz, mas não queria trabalhar loucamente em um escritório e descobrir que não estou feliz, queria voltar a modelar, mas não tenho mais idade e paciência pra isso, queria ficar viajando pelo mundo, mas tenho medo de deixar a carreira que escolhi de lado e algo dar errado, queria começar uma outra faculdade, mas tenho receio de estar perdendo o que menos tenho, meu tempo.

Achava que chegar na vida adulta seria mais simples, com todos os meus achismos preenchidos, realizada, com a vida ok. Que nada, parece que quanto mais eu vou caminhando, mais sonhos vou tendo pelo caminho, substituindo os que eu consigo realizar e fazendo a vida girar, vou construindo a passos curtos, o que eu quero ser quando crescer. Ainda estou longe do que planejei,  mas como nunca paro de sonhar, estou começando a achar que isso é fantástico.488253_510026312367122_1184900246_n

Tem coisa que sonhamos que não depende de ninguém, nem de dinheiro, nem de profissão, nem de pai/mãe. Acho que esse momento que estou vivendo, é um desejo de mudança dentro de mim mesma, acho que chega uma hora que dá um click no botãozinho, e isso que deve ter acontecido comigo, questões internas, do que eu quero mudar ou transformar ou deixar de ser, quem sabe. A vida é tão corrida, que a gente nem percebe o peso que carregamos todos os dias, e uma hora pesa demais, quero tirar o excesso, carregar o que cabe sem me machucar, sem me oprimir, sem me sufocar, sem regras.

Não sei se estou pronta para o que vier, mas como sei levantar, não tenho medo de cair.

paulo_leminski20102

“Se amanhã o que eu sonhei não for bem aquilo, eu tiro um arco iris da cartola e refaço. Colo, pinto e bordo.” Caio F. Abreu

Beijos Gi

Você tem facebook ?

large (3)
Eu tive facebook depois de muita gente ter, cheguei atrasada nessa modinha e confesso que antes a minha presença era muito mais frequente por lá. Já tem um tempinho que deixei de usar todo dia-toda hora. Acho até que uso muito mais pra atualizar a fanpage do blog do que o meu perfil pessoal.

As vezes me sinto um E.T no facebook, a verdade é essa. 

As pessoas não questionam mais nada, se tal texto/vídeo/foto é verdadeiro, se a notícia procede, se aquilo é verdade ou só uma brincadeira de mau gosto, é um tal de compartilhar qualquer coisa que chega a me dar preguiça de ficar lá por mais de 10 minutos, e quando fico a sensação é de ter preenchido meu tempo com o nada.

Tenho a impressão que na internet as pessoas amam mais e odeiam mais também.

A internet deixa todo mundo mais bonito, mais saudável, mais magro, e isso não é novidade, e eu acho até ok, se não for completamente distorcido da realidade, porque no final todo mundo quer parecer bem, bonito, interessante, não é? Só que a internet deixa todo mundo mais corajoso também, e aí é que está o problema. Ultimamente vejo tanta gente ofendendo pessoas que sequer são conhecidas, são desconhecidos xingando desconhecidos, estranhos falando mal de estranhos, simplesmente por não concordarem com determinado assunto, e isso varia de time/roupa/banda/cor de esmalte. Como assim? As pessoas não são assim na vida real, e eu realmente acredito que não são, então porque essa educação acaba quando a pessoa fica na frente de um computador? Por esses motivos, tenho usado mais o instagram, tenho ficado cada vez mais reservada em colocar minha opinião pra jogo, e penso muito antes de compartilhar as coisas.

large 1

Se na vida real você reflete antes de reclamar com a caixa do supermercado que tá demorando pra passar as compras quando você está com pressa, ou com a manicure que já deu uma fisgadinha na sua unha mesmo sem querer, ou com o motorista do ônibus que parou um pouquinho depois do ponto e fez você dar uma corridinha, porque colocar na internet tanta coisa negativa, porque compartilhar coisas que vão ofender as pessoas, porque seguir desconhecidos e xingar esses mesmos desconhecidos? Definitivamente, é a coisa mais tola e boba que alguém pode fazer.

large (1)

large (2)

Perfil real e perfil virtual, o sujeito é o mesmo, é você, é a sua inteligência e educação, ou a falta delas. Busque, estude, repense, respeite, pesquise, use a internet com mais cuidado, e separe um pouquinho do amor e da felicidade que você posta, pra sua vida de verdade.

Beijos Gi